Resultado da sua pesquisa por:

 

d

Empresas não estão preparadas para lidar com o câncer. E você?

por | 10/10/2018 | 0 Comentários

Você sabia que a mortalidade por câncer triplicou nos últimos 30 anos e que provavelmente vai duplicar nas próximas três décadas?

O câncer também já é a principal causa de morte em 516 cidades do Brasil.

Sim, esses dados alarmantes são reais e fazem parte do estudo 30 anos de SUS: Saúde no Brasil e a evolução no tratamento do câncer. Apesar de revelar o quanto o país evoluiu durante esse período em termos de redução da taxa de mortalidade infantil (75%), aumento da expectativa de vida em 16% (aproximadamente 10 anos) e pioneirismo no tratamento da Aids (vírus HIV), a pesquisa, realizada pela IQVIA – The Human Data Science Company em parceria com o Observatório da Oncologia, plataforma online de compartilhamento e monitoramento de dados oncológicos no Brasil, mostrou que precisamos todos nos preocupar e muito com a causa do câncer.

gráfico mostra quie brasileiros estão ficando mais velhos
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Gmail

Fonte: Observatório da Oncologia

Com as evidências apresentadas sobre a evolução do Sistema Único de Saúde (SUS) e sua ligação direta com aumento da expectativa de vida, a pesquisa alerta para o envelhecimento da população, que em 2048 terá aproximadamente 49 milhões de pessoas com mais de 65 anos. Considerando que a incidência do câncer no mundo todo aumenta com a idade, temos um problema. O estudo também evidência que 10% dos municípios brasileiros já têm o câncer como a primeira causa de morte.

Como combater o câncer frente a este cenário?

Você provavelmente já ouviu falar que o câncer possui uma série de fatores de risco, entre eles fatores ambientais/comportamentais, que estão diretamente ligados aos hábitos de vida que levamos: sedentarismo, tabagismo, consumo de bebida alcoólica em excesso, maus hábitos alimentares e exposição solar sem proteção são os principais deles.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 30 a 50% dos casos de câncer podem ser prevenidos, sinalizando que a prevenção é a forma mais custo-efetiva de combater a doença. A grande questão ainda é a falta de cuidado com a saúde, algo que está presente na população mundial e vem se mostrando cada vez mais forte no Brasil.

Leia também: Alimentação, câncer e saúde – precisamos falar sobre isso

Cuidar da saúde significa que, além de fugir das estatísticas que retratam os maus hábitos do dia a dia considerados fatores de risco, as pessoas precisam manter seus exames de rotina em dia e buscar um estilo de vida mais saudável como um todo. Infelizmente, na prática, o que acontece é exatamente o contrário: a falta de cuidado com a própria saúde, aliada à correria das rotinas de trabalho e vida pessoal, acabam criando um cenário propício para o diagnóstico tardio do câncer, o que impacta diretamente nas chances de sucesso no tratamento.

A lógica é simples: quanto mais cedo diagnosticamos o câncer, maiores são as chances de cura e sucesso no tratamento.

Todos Juntos Contra o Câncer

Nos últimos cinco anos, setembro ficou marcado como um mês importante para a oncologia no Brasil por conta do Congresso Todos Juntos Contra o Câncer, evento anual que reúne especialistas e líderes de saúde nacionais e internacionais para discutir as principais dificuldades e necessidades para a evolução do diagnóstico e tratamento do câncer no país, tanto na esfera pública como privada.

Este foi o segundo ano consecutivo em que pude acompanhar de perto o evento e observar o quanto ainda precisamos avançar no que diz respeito à prevenção e fortalecimento do discurso para alcançarmos o diagnóstico precoce do câncer, especialmente entre os profissionais de saúde não especializados em oncologia. São esses médicos que muitas vezes identificam algum sintoma inicial ao receber um paciente em seu consultório ou emergência hospitalar e assim, precisam estar preparados para identificar estes sinais e direcionar o paciente corretamente.

Empresas não estão preparadas para lidar com o câncer

Além da ampla discussão sobre a pesquisa do Observatório da Oncologia e do atual cenário do câncer no Brasil, os diálogos do TJCC deste ano também destacaram como as empresas ainda não estão preparadas para acolher os colaboradores diagnosticados com câncer.

Enquanto os líderes não sabem como oferecer apoio aos membros dos seus times que são surpreendidos com a doença, o colaborador que recebe o diagnóstico passa pela angústia de entender como se manter ativo no trabalho e estabelecer um diálogo com o seu gestor imediato em função das dificuldades e limitações que o tratamento do câncer pode trazer para sua vida corporativa.

Para Luiz Edmundo Rosa, Diretor de Desenvolvimento de Pessoas da ABRH-Brasil, o RH das empresas precisa ir além da flexibilização de horários e cargas de trabalho para quem está em tratamento de câncer. Segundo ele, as organizações precisam se mobilizar para oferecer uma assessoria médica a esses colaboradores que precisam de ajuda, algo que teria um impacto significativo na questão da prevenção, considerando que as empresas que disponibilizarem essa assessoria também trabalharão campanhas de incentivo aos cuidados com a saúde entre todos os colaboradores.

Informação não é conhecimento!

A frase que me fez continuar refletindo dias após o término do Congresso foi do coach de saúde do Hospital Albert Einsten, Fábio Romano. Cercar o paciente de informação não é o suficiente. Ele precisa entender como usar a informação para ganhar mais conhecimento e cabe a nós, profissionais que atuam na saúde, ajudá-lo nessa jornada, para transformar esse conhecimento em uma mudança de atitude real, que de fato impacte a vida dele – durante e após o tratamento do câncer.

A reflexão que fica é a de que precisamos falar cada vez mais sobre o câncer de forma aberta e clara. A população em geral precisa conhecer melhor os fatores de risco e entender como pequenas atitudes e cuidados com a saúde podem ser determinantes para o surgimento de um câncer. Menus tabu e mais olho no olho para discutir como combater a doença de forma consciente e eficaz.

Você está preparado para lidar com o câncer? E a sua empresa?

Mais conteúdo em seu email

newsletter

mais

categorias

vamos conversar?

entre em contato

Copyright © 2019 Lu.Marinho. Todos os direitos reservados.